Obras de João Miguel dos Santos Simões
 
- As comissões de Turismo devem possuir rede própria, Lisboa, Sociedade Nacional de Tipografia, 1936.

- “A entrada de D. Filipe II em Tomar em 1619”, Estudos Tomarenses. Notas de História, Arte e Arqueologia, vol. l, Tomar, Tip. Santos & Gouveia, 1943.

- “Sansovino em Portugal”, Sep. da Revista O Instituto, (pref. e trad. à edição de G. Haydn HUNTLEY) nº 102, Tomar/Coimbra, 1942.

- “Tomar e a sua judiaria”, Sep. Boletim da Sociedade de Geologia de Portugal, V, Tomar, Museu Luso-Hebraico, 1943.

- “Alguns azulejos de Évora”, A Cidade de Évora, n.º 5 (Dez. 1943), pp. 3-17; n.º 6 (Mar. 1944), pp. 78-86; n.ºs 7-8, ano II, (Jun./Set. 1944). pp. 41-52; n.ºs 9-10, ano III (Set./Dez. 1945), pp. 91-104.

- “A intenção decorativa do azulejo”, Litoral, n.º 3, Lisboa, Ago./Set. 1944, pp. 286-279.

- “Azulejos arcaicos en Portugal”, Sep. da comunicação apresentada ao Congresso para o Progresso das Ciências em Córdoba, tomo XVIII, Asociación Espanõla para el Progreso de las Ciencias, Madrid, 1945.

- “Azulejos de Beja”, Arquivo de Beja, vol. I, n.º 4, Beja, Câmara Municipal de Beja, 1944, pp. 309-323, ilustrado.

- “Antwerpesche tegels van omstrecks 1558 in Portugal”, em colaboração com VAN HERCK, Ch., Antwerpens Koninklike Oudheidkundige Kring, Jaarbock XX-XXI, Antuérpia, 1944-1945.

- “Presépios em Azulejo”, Mocidade Portuguesa Feminina, Lisboa, Dez. 1945.

- Os Azulejos do Paço de Vila Viçosa, Lisboa, Ed. Fundação Casa de Bragança, 1945.

- “Maioliche flamminghe e spagnole in Portogallo”, Faenza - Bollettino del Museo Internazionale del Ceramiche in Faenza, ano XXXII, fasc. II, Faenza, 1946, pp. 50-53.

- “Panneaux de majolique au Portugal”, Faenza - Bolletino del Museo Internazionale del Ceramiche in Faenza, ano XXXII, fasc. III-IV, Faenza, 1946, pp. 76-87.

- Azulejos - 6.ª Exposição Temporária de Azulejos do Museu Nacional de Arte Antiga, Catálogo da Exposição, Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga, 1947.

- “Considerações sobre a colecção de azulejaria do Museu Nacional de Arte Antiga”, Boletim do Museu Nacional de Arte Antiga, vol. I, n.º 2, Lisboa, 1947, pp. 86-94.

- A Casa do Paço da Figueira e os seus Azulejos, Figueira da Foz, Ed. Museu Municipal Dr. Santos Rocha, 1947.

- “Azulejos holandeses do Palácio Saldanha”, Boletim da Academia Nacional de Belas-Artes, 2.ª série, n.º 1, Lisboa, 1948, pp.48-79.

- Jorge Barradas expõe novas criações em Faianças de Arte no Palácio Foz, Pref. do Catálogo da Exposição, Lisboa, 1948.

- “Azulejos iconográficos no Museu de Lisboa”, Faenza - Bolletino del Musco Internaziolale del Ceramiche in Faenza, ano XXXIV, fasc. I, Faenza, 1948, pp. 110-111.

- “Le role de la décoration céramique dans l’architecture portugaise dês XVII-XVIII siécles”, XVI Congrés International d’Histoire de l’Art, vol. II, Lisboa/Porto, 1949, pp. 287-288.

- “Os mais antigos azulejos algarvios”, Correio do Sul, nº 1654, Faro, (14 de Julho), 1949.

- “Os notáveis azulejos da Igreja de São Lourenço de Almansil”, Correio do Sul, nº 1656, Faro, (28 de Julho), 1949.

- “O notável revestimento de azulejo figurado de uma capela da Sé de Faro”, Correio do Sul, nº 1657, Faro, (4 de Agosto), 1949.

- “O problema dos azulejos da Igreja de S. Francisco de Faro”, Correio do Sul, nº 1659, Faro, (14 de Agosto), 1949.

- “Os azulejos das igrejas matrizes de Estombar e de S. Clemente de Loulé”, Correio do Sul, nº 1660, Faro, (25 de Agosto), 1950.

- Agrippino Grieco em Coimbra, Coimbra, Tip. Coimbra Editora, 1952.

- O Teatro dos Estudantes de Coimbra no Brasil, Coimbra, Tip. Atlântida, 1953.

- “Um quadro inédito de Domingos Sequeira”, Boletim da Academia Nacional de Belas-Artes, 2.ª série, n.º 5, Lisboa, 1953, pp. 44-45.

- “Les carreaux céramiques hollandais au Portugal et en Espagne”, Actas do XVII Congresso Internacional de História da Arte em Amsterdão, Haia, 1955, pp. 439-444.

- “Azulejos in a land of many colours”, Connoisseur, n.º 551, Londres, Fev.1956, pp. 15-21.

- “Itinerário de azulejos”, Revista do Auto-Clube Médico Português, nº 5, ano II, Lisboa, 1957, pp. 12-13.

- “Breves notas sobre algumas igrejas azulejadas dos arredores de Lisboa”, Boletim da Academia Nacional de Belas-Artes, 2ª série, nº 12, Lisboa, 1958, pp. 5-11.

- “Sobre a «Porcelana dos Médicis» do Museu”, Boletim do Museu Nacional de Arte Antiga, vol. III, fasc.IV, Lisboa, 1957, pp. 25-26.

- “Majólicas italianas no Museu de Arte Antiga”, Boletim do Museu Nacional de Arte Antiga, vol. III, fasc. IV, Lisboa, 1957, pp. 27-31.

- “Mais azulejos holandeses em Portugal”, Boletim da Academia Nacional de Belas-Artes, 2.ª série, n.º 13-14, Lisboa, 1959, pp. 53-61.

- “Azulejaria no Brasil”, Revista do Património Histórico e Artístico Nacional, nº 14, Rio de Janeiro, 1959, pp. 9-18.

- “Azulejos holandeses no convento de Santo António do Recife”, Cadernos de Arte do Nordeste, nº 3, Recife, Amigos da DPHAN, 1959.

- “Frontales de altar de azulejo en la Mezquita Catedral de Córdoba”, Archivo Español de Arte, nº. 125-128, tomo XXXII, Madrid, Consejo Superior de Investigaciones Cientificas / Instituto Diego Velazquez, 1959, pp. 39-57.

- Les Carreaux céramiques hollandais au Portugal et en Espagne, Haia, Martinus Nijhoff, 1959.

- “Velhos azulejos holandeses no mundo português”, Boletim do Auto-Clube Médico Português, ano XVIII, 2.ª série, n.º 4, Lisboa, Dez. 1960, pp. 14-17.

- Majólica italiana do Paço de Vila Viçosa, Lisboa, Ed. Fundação Casa de Bragança, 1960.

- “Dutch tiles in Portugal”, The Anglo-Portuguese News, n.º 714, Lisboa, 14 de Maio de 1960, pp. 1-6.

- “O renascimento da cerâmica portuguesa - Azulejos”, Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, ano V, n.º 14, Lisboa, 1960, pp. 38-41.

- “Presença e continuidade do azulejo português no Brasil”, Colóquio-Artes, n.º 9, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Jun. 1960, pp. 16-21.

- “Azulejos”, Diário de Notícias, 29 de Abril de 1961, p. 2.

- “Iconografia olisiponense em azulejos”, Olisipo - Boletim do Grupo Amigos de Lisboa, ano XXXIV, nº 95, Lisboa, 1961, pp. 115-134.

- “A azulejaria no norte do país”, Guia de Portugal, vol, IV, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1961, pp. 58-60.

- “A azulejaria na Madeira”, Boletim da Junta-Geral do Distrito Autónomo do Funchal, n.º 5, Funchal, 1961, pp. 3-10.

- “Azulejos de Tomar”, Novidades, 30 de Abril de 1961, pp. 5-8.

- “O panorama do azulejo em Portugal”, Revista Insulana, vol. XVII, Ponta Delgada, 1961, pp. 117-120.

- “Breves notas sobre alguns azulejos de Barcelos”, Boletim do Grupo Alcaides de Faria, n.º 3, Barcelos, 1962, pp. 1-9.

- “Da exposição temporária de azulejaria ao Museu do Azulejo (1945-1961)”, Boletim do Museu Nacional de Arte Antiga, vol. IV, n.º 3, Lisboa, 1962, pp. 21-28.

- “As novas técnicas áudio-visuais ao serviço dos Museus”, Museu, 2.ª série, n.º 5, Porto, 1963.

- “Decorative Tiles (Azulejos) in Azores”, New York Herald Tribune, Paris, 11 de Dezembro de 1963.

- Azulejaria portuguesa nos Açores e na Madeira, Vol. I, Corpus da Azulejaria Portuguesa, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1963.

- “O Problema do Manuelino e a Introdução do Renascimento em Portugal”, Livro da 2.ª Semana de Estudos dos Açores, Angra do Heroísmo, Instituto Açoriano de Cultura, 1963, pp. 191-199.

- “Da montagem e apresentação museológica de azulejos”, Boletim do Museu Nacional de Arte Antiga, vol. IV, n.º 4, Lisboa, 1962, pp. 37-42.

- “Azulejos de Olivença”, Olivença - Boletim do Grupo Amigos de Olivença, nº 7-8, Olivença, 1963, pp. 23-25.

- A Quinta das Bicas, os seus azulejos e o Dr. João Cabral de Melo, Lisboa, Scarpa, 1963.

- O azulejo como factor de atracção turística, texto policopiado, Lisboa, 1964.

- “The tiles of Spain and Portugal”, Fliesen, BERENDSEN, Anne (coord.), Munique, 1964, pp. 64-

- “The influence of Dutch tiles in Portugal and Brasil”, Fliesen, BERENDSEN, Anne (coord.) Munique, 1964, pp. 177-185.

- Azulejaria portuguesa no Brasil, Vol. II, Corpus da Azulejaria Portuguesa, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1965.

- “Moinhos de vento de Lisboa: os moinhos da Ajuda”, Revista Municipal de Lisboa, n.º 106-107, Lisboa, 1965, pp. 88-98.

- “In einem lande der vielen farben”, Portugal 1965, Lisboa, Ed. Diário de Lisboa, 1965, pp. 106-113.

- “Azulejos dos Séculos XVII e XVIII”, Bazar, Lisboa, Dez. 1965, pp. 36-40.

- “Azulejo”, Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura, vol. III, Lisboa, Ed. Verbo, 1965, pp. 249-254.

- “O Museu do Azulejo no Convento da Madre de Deus - 1963/1964”, Boletim do Museu Nacional de Arte Antiga, 2.ª série, vol. V, n.º 2, Lisboa, 1966, pp. 64-65.

- “Azulejaria portuguesa no Brasil”, O Instituto, vols. 129-130, Coimbra, 1967, pp. 103-106.

- “A propósito dos azulejos do Paço do Saldanha”, A Tarde, São Salvador da Baía, 8 de Julho de 1967.

- “Le musée des «Azulejos» de Lisbonne”, Faenza - Bollettino del Museo Internazionale del Ceramiche in Faenza, ano LIII, fasc. 2-3-4-5, Faenza, 1967, pp. 64-65.

- Azulejaria em Portugal nos séculos XV e XVI, vol. III, Corpus da Azulejaria Portuguesa, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1969.

- “Mais azulejos portugueses no Brasil”, Colóquio-Artes, n.º 53, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Abril de 1969, pp. 10-12.

- “Azulejos de Bartolomeu Antunes”, Boletim da Academia de Belas-Artes, 2.ª série, n.º 24-26, Lisboa, 1970, p. 98.

- “Comentários e notas à edição de Isabella de França”, Journal of a visit to Madeira and Portugal, 1853-1854, Funchal, Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal, 1970.

- Catálogo Cerâmica decorativa Moderna Portuguesa, Exposição integrada no 1.º Simpósio Internacional sobre Azulejaria, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1971.

- Azulejos as aesthetimetric indexes, texto policopiado da comunicação ao 1.º Simpósio Internacional sobre Azulejaria, Lisboa, 1971.

- Azulejaria em Portugal no século XVII, IV vol., Corpus da Azulejaria Portuguesa, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1971.

- “Os ‘Della Robbias’ do Museu Nacional de Arte Antiga”, João Couto - in Memoriam, Lisboa, 1971, pp. 171-189.

- “Saveiros da Baía”, Grupo de Estudos de História Marítima, Lisboa, 1971.

- “Azulejaria romântica”, Estética do Romantismo em Portugal, Actas do 1º Colóquio, Lisboa, Grémio Literário, 1974.

- “Azulejo”, texto introdutório da Agenda Cidla de 1972, Lisboa, CIDLA/ Combustíveis e Domésticos SARL, 1972, pp. 1-2.

- “Azulejo”, Dicionário da Pintura Universal, vol. III, Lisboa, Estúdios Cor, 2ª ed. 1973, pp. 45-48.

- “Gabriel del Barco”, Dicionário da Pintura Universal, vol. III, Lisboa, Estúdios Cor, 2ª ed., 1973, p. 51.

- “Cerâmica”, Dicionário da Pintura Universal, vol. III, Lisboa, Estúdios Cor, 2ª ed., 1973, pp. 82-83.

- “Palácio Ducal de Vila Viçosa”, Sep. de Palácios Portugueses, 1.º vol., Lisboa, Secretaria de Estado da Informação e Turismo, 1973.

- Azulejaria em Portugal no Século XVIII, V vol., Corpus da Azulejaria Portuguesa, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, (notas de GONÇALVES, Flávio), 1979.

- “Maioliche e porcellane portoghesi”, Le Ceramiche in Europa dal Medioevo al 1925 – Itália, Francia,Spagna, Portogallo, GONZÁLEZ-PALACIOS, Alvar (coord.), Milão, Grupo Editoriale Fabbri, 1982.

- “Faiences et pocelaines portugaises”, Antiquités & Objets d’ Arte, n.º 13, Paris, Ed. Fabbri, 1990, pp. 71-75.

- “Iconografia lisboeta em azulejo no Brasil - Vistas de Lisboa em painéis de azulejos na cidade do Salvador”, Oceanos, n.º 36-37, 1998-1999, pp. 20-51.
 
Imagem: ~/multimedia/JMSS/JMSS_17 (2).jpg
Imagem: ~/multimedia/JMSS/JMSS_18.jpg
Imagem: ~/multimedia/JMSS/JMSS_montagem.jpg